Sedel e SSP lançam campanha de combate a crimes contra menores no esporte do Amazonas

Campanha “Assédio Sexual no Esporte é Crime. Denuncie!” surge após novo registro de crimes cometidos por treinadores contra alunos, em Manaus. Aplicativo para denúncias também será lançado

Casos envolvendo técnicos esportivos ganharam destaque de 2021 até novembro de 2023, não apenas sobre o sucesso de seus atletas, mas também virando capas de jornais policiais. Neste período, o ACRITICA.COM noticiou pelo menos cinco casos de treinadores presos suspeitos de estupro de vulnerável e exploração sexual, todos cometido contra os seus respectivos alunos. O mais recente envolve o treinador da seleção amazonense Sub-16 de vôlei.

Por conta dessa crescente de ocorrências dessa natureza, as Secretarias de Estado do Desporto e Lazer (Sedel) e de Segurança Pública Pública do Amazonas (SSP-AM), se juntaram e criaram, nesta sexta-feira (17), uma força tarefa chamada “Assédio Sexual no Esporte é Crime. Denuncie!”, para criar formas de conscientização e também canais de denúncias, por meio de um aplicativo que será desenvolvido em conjunto pelas pastas.

“Vamos ter uma linha direta para que os atletas possam ser protegidos e isso com certeza vai inibir esses atos. Agora, um pai ou mãe, assim como os atletas, vão poder denunciar de forma mais fácil, por meio do aplicativo, além do nosso trabalho de conscientização junto às federações, para que o esporte esteja livre deste tipo de ações”, disse o secretário da Sedel, Jorge Oliveira.

A previsão para que o aplicativo esteja ativo e disponível é até os meses de março e abril de 2024. Enquanto isso, um trabalho de conscientização junto a Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) já está sendo preparado para ser feito nas federações e clubes esportivos, segundo o secretário Cel. Marcos Vinícius Almeida.”O jovem não pode esperar. Até lá, a SSP junto com a Sedel, irá se reunir com as federações e clubes, principalmente com estes jovens atletas para fazer as campanhas educativas, explicando o que é o assédio e o limite do crime, para que ele possa entender, se proteger e difundir esse conhecimento”, afirmou.

Preparado para ajudar

Com a novidade, o presidente da Federação de Judô do Amazonas (Fejama), sensei David Azevedo, vê com ótimos olhos o início da campanha contra o assédio no esporte e destacou que o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) já disponibiliza cursos sobre o tema.”Eu sempre procurei me aperfeiçoar nesse tema, inclusive fiz esse curso do COB. Essa iniciativa da Secretaria de Esporte e Segurança é ótimo para ajudar na construção dos futuros cidadãos e a Federação de Judô está a disposição para ajudar nessa luta”, falou.

Casos envolvendo treinadores

Na última terça-feira, o treinador da seleção amazonense de vôlei sub-16 Walhederson Barbosa, 40, foi preso em flagrante por suspeita de estupro e exploração sexual de adolescentes, cometido contra os próprios alunos, que têm idades entre 14 e 17 anos. No momento do crime, seis adolescentes estavam na casa do suspeito, estando dois junto a ele em uma cama. Ao todo, 12 vítimas já foram identificadas.

Em fevereiro deste ano, um treinador de uma escolinha de futebol da Comunidade Grande Vitória foi preso em flagrante por suspeita de estuprar uma criança de 12 anos e armazenar conteúdos de pornografia infantil em seu celular. Ele confessou o crime e também disse que ajudava financeiramente a mãe da menina.

Já em 2022, no mês de novembro, outro treinador de uma escolinha de futebol, Pedro Sérgio Machado Ribeiro, 57, foi preso em flagrante suspeito de cometer violência sexual contra crianças e adolescentes. No momento da prisão havia seis crianças, de idades entre 8 e 13 anos, na casa do suspeito. Ele estava nu em seu quarto, junto com duas crianças.

Em setembro do mesmo ano, mais uma vez, um treinador de uma escolinha de futebol, desta vez no bairro Novo Aleixo, foi agredido por pais de alunos e depois preso suspeito de aliciar crianças. Segundo as vítimas, o professor oferecia dinheiro para que pudesse tocar nas partes íntimas dos menores.

Em abril de 2021, o ex-técnico de natação e ex-presidente da Federação Amazonense de Desportes Aquáticos (Fada), Vitor Hugo Lopes Façanha, foi denunciado por 11 ex-alunas, na época, crianças e adolescentes, por abuso sexual. O processo corre em segredo de Justiça.

Fonte: A Crítica

Compartilhe :

WhatsApp
Facebook
Telegram
Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas notícias
Categorias

Subscribe our newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.