A vida no espaço pode estar mais perto do que nunca

Viver no espaço foi tido por muito tempo como uma utopia. No entanto, isso está cada vez mais perto de se tornar realidade.

Por vários anos, os humanos sonham em viver no espaço. E graças ao lançamento de uma estação espacial, as pessoas começaram a entendê-lo. O mais incrível é que essa ideia não passava de pura ficção científica, décadas atrás. Contudo, algumas coisas são necessárias para que um ser humano consiga sobreviver fora da Terra.

Mesmo que com apetrechos, como trajes espaciais, as pessoas poderiam viver no espaço, isso não é uma coisa tão fácil. No entanto, isso não quer dizer que formas de fazer isso se tornar realidade não estejam sendo buscadas nas comunidades científicas e entusiastas da ficção científica.

Já são décadas de investigações, inovações e milhares de dólares gastos para começar essa estrada que irá fazer a humanidade desbravar o universo. Nesse ponto, passos importantes já foram dados, como por exemplo, a ida do homem à lua e a Estação Espacial Internacional (ISS) que já funciona a duas décadas.

Vida no espaço

No entanto, parece que a cada conquista a humanidade quer ir mais longe. Tanto que a NASA já tem data marcada para a humanidade chegar até Marte. E em um futuro mais distante, o esperado é que as pessoas possam viver em outros planetas, luas e estações espaciais.

À medida que a tecnologia espacial vai avançando, e novos planetas são descobertos, isso cria oportunidades para inovação e novos planos para que os primeiros postos avançados planetários sejam instalados e a criação de cidades espaciais orbitais.

E como está iminente ameaças como impactos de asteroides, alterações climáticas e desastres nucleares, o mais adequado seria dispersar os humanos em vários corpos celestes nos sistemas estelares do espaço.

Contudo, isso não é uma coisa fácil de ser feita por vários motivos. Como por exemplo, falta de oxigênio, radiação, microgravidade, variações de pressão, temperaturas extremas e contaminação biológica.

Por conta disso estão sendo desenvolvidas formas de blindagem passiva e ativa contra a radiação, e técnicas para criar oxigênio. Com relação à microgravidade e temperaturas extremas, a solução são assentamentos subterrâneos.

Projetos

Como dito, viver no espaço já não é uma coisa tão distante assim. Tanto que já existem vários projetos de estações espaciais orbitais e postos avançados planetários que tentam atingir esse objetivo. Alguns deles são:

  • Recife Orbital (operacional em 2027): Projetado pela Blue Origin e Sierra Space, oferece espaço vital na órbita baixa da Terra para comércio, pesquisa e turismo;
  • Missões Artemis da NASA: Essas missões visam estabelecer uma base na superfície da Lua e uma nave espacial Gateway em órbita lunar para se preparar para futuros assentamentos em Marte;
  • Starlab (lançamento planejado para 2028): Projetada por Nanoracks e Voyager, é uma estação espacial comercial com foco em pesquisa e colaboração internacional;
  • Sierra Space LIFE™ Habitat: Uma estação espacial orbital de três níveis com planos para o cultivo de produtos frescos para missões longas;
  • SpaceX Starship (prevista para 2025): Projetada para voos interplanetários e missões lunares;
  • Icon Project Olympus (Lua 2026): Usando tecnologia de autoconstrução para construir habitats na Lua e em Marte;
  • ThinkOrbital (em desenvolvimento): Uma estação espacial de voo livre para pesquisa e turismo;
  • Estação Espacial Haven-1 (lançamento planejado para agosto de 2025): permite missões de voos espaciais de até 30 dias, oferecendo diversas comodidades;
  • Estação Axiom (operacional em 2028): Oferece acomodações confortáveis em órbita baixa da Terra.

Fonte: Tecmundo

Imagens: Tecmundo

Compartilhe :

WhatsApp
Facebook
Telegram
Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas notícias
Categorias

Subscribe our newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.