Feras na elite! 3B da Amazônia brilha nos pênaltis e conquista vaga à Série A1 de 2025

Clube amazonense empata em 1 a 1 com o Mixto-MT no tempo normal, mas nos pênaltis, vence por 4 a 2

Em um dos banners colocados nas arquibancadas da Arena da Amazônia, uma frase abaixo do escudo do 3B resume bem a ‘saga’ do clube, em realizar o sonho de chegar à elite do futebol feminino: ‘A persistência é o caminho do êxito’. De fato, as Feras insistiram, insistiram e insistiram, pois foram necessárias três oportunidades.

Em 2017, o clube foi eliminado no jogo do acesso – em plena Arena da Amazônia – para o Minas Brasília-DF. Em 2023, veio o revés diante do Botafogo-RJ, no Nilton Santos. Mas neste domingo (7), novamente na Arena, o 3B da Amazônia conseguiu alcançar o topo do futebol brasileiro. Com a vitória sobre o Mixto-MT, nos pênaltis, a Fera garantiu sua vaga no Campeonato Brasileiro Feminino – Série A1 de 2025 e o avanço às semifinais da Série A2.

Drama

Invicto e líder geral da atual edição da Série A2, o 3B entrou em campo sabendo que era favorito, já que na partida de ida, fora de casa, o placar foi de 0 a 0 – com Camila defendendo um pênalti. No entanto, fazer um gol no Mixto foi se tornando complicado com o passar do primeiro tempo. Foi necessária uma bobeira da lateral Thalita, que aos 40 minutos, colocou a mão na bola.

O árbitro Antônio Carlos Pequeno Frutuoso não teve dúvidas ao respeito do lance, marcando pênalti para o 3B. Presente em todas as temporadas da história do clube, que iniciou sua jornada no futebol feminino em 2017, a capitã Gabi Batista foi para a cobrança e, pela oitava vez na temporada, balançou as redes aos 41 minutos. Momento de alegria nas arquibancadas, mas que durou pouco tempo.

Com 5 minutos de acréscimos, o Mixto conseguiu deixar tudo igual aos 48 minutos. Em cobrança de falta no círculo central, Bia mostrou o porquê de vestir a camisa 10 do clube mato-grossense, mandando um longo e preciso lançamento na testa de Rayla. A centroavante testou para o fundo do gol, sem chances de defesa para a goleira Camila – que sofreu apenas seu terceiro gol em nove jogos.

Alegria

O roteiro do 3B exigia emoção, com drama até o último segundo, pois embora não tenha faltado oportunidades para ambos os lados, não houve gol no segundo tempo. Com isso, a classificação foi definida nos pênaltis. Melhor para as Feras da Amazônia, que demonstraram uma frieza invejável, convertendo todas as penalidades efetuadas com extrema categoria – contando também com uma muralha chamada Camila.

A primeira cobrança foi da capitã Gabi Batista, fazendo 1 a 0; Karen deixou tudo igual; Moara fez 2 a 1; Michelle Carioca igualou novamente a disputa; Rute recolocou o 3B em vantagem; Na terceira cobrança do Mixto-MT, Joycinha parou em Camila; Katyelle fez 4 a 2; Por fim, Camila defendeu o chute de Gaby, colocando as Feras na Série A1 de 2025 e nas semifinais da Série A2.

O 3B da Amazônia recoloca um clube amazonense na elite do futebol feminino, já que última participação do estado na Série A1 foi do Iranduba, em 2020 – ano do rebaixamento. Vale ressaltar que o 3B é o primeiro clube do Amazonas que alcança a elite nacional com acessos desde a ‘última divisão’, pois disputou a Série A3 em 2022 e conseguiu o acesso, após o vice-campeonato.

Ainda não acabou

Agora, o 3B aguarda o classificado do confronto entre Juventude-RS e Fortaleza-CE, que acontece nesta segunda-feira (8). No jogo de ida, o clube gaúcho venceu fora de casa, por 1 a 0, e precisa de um empate em seus domínios para avançar. Independente do adversário, o jogo decisivo das semifinais da Série A2 ocorre na Arena da Amazônia, pois o clube amazonense possui melhor campanha.

Por A Crítica

Compartilhe :

WhatsApp
Facebook
Telegram
Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas notícias
Categorias

Subscribe our newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.