Enfermeiro é acusado de estupro e importunação sexual contra adolescente internada no Hospital e Pronto-Socorro Dr. João Lúcio

Foto: Divulgação

Mais um enfermeiro do Hospital e Pronto-Socorro Dr. João Lúcio Pereira, é denunciado por estupro em Manaus em menos de quinze dias. Quem faz a denúncia e já compareceu na Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) é a própria mãe da vítima, que é uma menor de idade.

Casa da Praia Zezinho Corrêa – Vista Rio Café Banner

Uma adolescente de 17 anos de idade, que fez cirurgia de apendicite, denunciou que foi molestada sexualmente pelo profissional da saúde que ainda não teve o nome revelado.

No dia 16 de maio a menor estava no leito, sozinha, enquanto a mãe foi ao Serviço Social do HPS, nesse momento, segundo as denunciantes, o enfermeiro foi à enfermaria e praticou o ato libidinoso.

De acordo como a versão levada ao conhecimento da delegada titular Joyce Coelho, o enfermeiro apalpou a barriga, depois tocou as partes íntimas e por fim, encostou os órgãos genitais no braço da adolescente.

Foto: Divulgação

A adolescente se assustou, começou a chorar, entrou em desespero, perguntou o que estava acontecendo, o enfermeiro disse que não estava acontecendo nada.

Segundo a mãe denunciante, o enfermeiro disse que não iria fazer nada com a paciente e foi mais além, acariciando os lábios, o rosto, e chamando a menor de idade de bebezinho.

A atitude do enfermeiro se tornou bem mais imoral e indecente, quando ele afirmou que a paciente “tinha cara de quem gostava de homens mais velhos”.

Segundo a mãe da menor que sofreu todos estes transtornos, importunações sexuais e palavras de desmoralização dentro da enfermaria do Hospital e Pronto-Socorro Dr, João Lúcio, o caso já foi denunciado no Conselho Regional de Enfermagem do Amazonas (Coren-AM).

A mãe denunciante também confirmou que a filha já foi operada de apendicite, no último dia 19 de maio, está em fase de recuperação, mas vem sofrendo problemas psicológicos de ansiedade, está em pânico e não consegue sequer dormir direito.

O caso também foi denunciado na Cooperativa através da qual o enfermeiro acusado foi contratado, na Ouvidoria do HPS, que afastou o enfermeiro das suas funções no dia 17, um dia depois de ter praticado o suposto crime.

A adolescente só foi levada pela mãe para prestar depoimento nesta quinta-feira na Depca, mais de 15 dias após o ocorrido, porque ainda estava se recuperando no período pós-operatório.

Após a denúncia e de ouvir os depoimentos e acusações contra o enfermeiro que não teve o nome revelado, a delegada titular Joyce Coelho, instaurou inquérito policial, para outras medidas cabíveis e deve intimar o enfermeiro acusado para ser ouvido nos próximos dias.

Por Portal do Zacarias

Compartilhe :

WhatsApp
Facebook
Telegram
Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *