Elon Musk faz mudança drástica na rede social X após perder mais de R$ 121 bilhões

Mais uma mudança de Musk no Twitter. Agora, ele disse que essa irá ajudar os pequenos criadores de conteúdo a crescerem na plataforma.

Twitter tem estado em foco desde que Elon Musk comprou a rede social. Tanto é que até o nome da plataforma mudou, virou “X”, mas a grande maioria ainda chama a rede social de Twitter. E as mudanças feitas pelo bilionário acontecem periodicamente e parecem não ter um fim.

A relação de Musk com a rede social foi bem complexa com relação à sua compra. Na época, ele desembolsou 44 bilhões de dólares para comprá-la. No entanto, o bilionário revelou em uma reunião com funcionários que atualmente a rede social está valendo 19 bilhões de dólares. Isso é aproximadamente 55% do valor que ele pagou um ano atrás.

Além disso, recentemente o bilionário anunciou mais uma mudança na rede social, agora no algoritmo dela. Essa mudança veio depois de ele ter perdido aproximadamente 25 bilhões de dólares, cerca de 121,8 bilhões de reais, somente em um ano por conta das críticas associadas ao conteúdo que é compartilhado no Twitter.

Mudança

De acordo com Musk, além do combate a disseminação de desinformação, especialmente relacionada com o conflito entre Israel e o grupo terrorista Hamas, esse novo algoritmo tem a promessa de ajudar os criadores de conteúdo que ainda são pequenos a crescerem na plataforma.

“Uma  grande atualização no algoritmo de recomendação será lançada nos próximos dias. Isso ajudará a revelar contas e postagens menores fora da sua rede de seguidores de amigos. Como sempre, será de código aberto e passará por melhorias contínuas”, escreveu Musk.

Essa mudança vai de encontro com o objetivo do bilionário em fazer o Twitter ser uma plataforma de criação conforme os criadores menores tem mais oportunidades para terem um impacto maior.

Desvalorização do Twitter

A informação que a rede social desvalorizou em apenas um ano foi dada pela Fortune, no último dia 30, e podem até estar superestimadas. Isso porque de acordo com a publicação, a Fidelity, empresa de fundos mútuos que fez um empréstimo de 300 milhões de dólares para Musk comprar o Twitter, citou uma desvalorização de 65% nesse um ano.

Curiosamente, a situação atual da rede social levantada por Musk é ainda pior do que uma previsão feita por ele mesmo há pouco tempo. Em um e-mail mandado para toda a empresa em março, ele disse que acreditava que o Twitter valia aproximadamente 20 bilhões de dólares.

Nem tudo feito na gestão de Musk foi ruim, no entanto, é perceptível que os destaques negativos são maiores do que os positivos. Atualmente, o Twitter tem três assinaturas disponíveis, reparte o dinheiro de publicidade com os assinantes e dá a possibilidade dos criadores cobrarem por um conteúdo exclusivo.

Nos planos de Musk, o Twitter será bastante grandioso. Contudo, se isso realmente se tornará verdade, só o tempo dirá.

Dentre todas as mudanças feitas, recentemente a rede social divulgou que começou a pagar os criadores de conteúdo brasileiros. Essa monetização já está disponível para quem assina o X Premium, o antigo Twitter Blue.

Essa monetização começou no dia 13 de julho. Nesse momento, os usuários americanos, que tinham um histórico de serem amigáveis com relação a Musk, começaram a receber pelos tweets feitos. Nos EUA, para o pagamento foi levado em consideração o histórico de impressões desde fevereiro, época em que o Twitter anunciou seu plano de monetização. Por conta disso, alguns usuários chegaram a receber até 40 mil dólares de pagamento.

Até o momento, a rede social não disse nada se os usuários brasileiros também vão receber o pagamento retroativo. E como a plataforma não responde à imprensa, o jeito é esperar que os criadores brasileiros digam se receberam ou não esse retroativo desde fevereiro.

Para que aconteça a monetização no Twitter, a pessoa tem que ter, além da assinatura do X Premium, cinco milhões de impressões orgânicas, que acontecem sem que o tweet seja promovido, nos últimos três meses.

Além disso, a pessoa tem que se inscrever no programa de monetização, ser maior de 18 anos, ter incluído todas as informações do perfil, e-mail verificado, não ter violado o termo de uso, ter mais de 500 seguidores e algumas outras exigências.

Uma outra exigência da rede social é uma conta no Stripe, um serviço financeiro que o Twitter usa para pagar seus usuários. Outra coisa que também não ficou clara sobre esse pagamento é o prazo. Segundo a página de suporte, ele é feito com uma “cadência regular”, desde que o usuário tenha feito mais de 10 dólares.

Fonte: R7,  Tecnoblog

Compartilhe :

WhatsApp
Facebook
Telegram
Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas notícias
Categorias

Subscribe our newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.