Spotify irá usar IA do Google para melhorar a recomendação de conteúdo

Uma parceria entre Google Cloud e Spotify promete melhorar a experiência dos usuários, com recomendação de conteúdo personalizado.

No dia 16 de novembro, o Google Cloud e o Spotify divulgaram a expansão de sua parceria de longa data, que teve início em 2016.

Essa colaboração visa aprimorar diversos aspectos da plataforma de streaming de áudio, abrangendo áreas como infraestrutura, dados, inteligência artificial e machine learning.

Com essa ampliação, o Spotify terá a oportunidade de utilizar as avançadas ferramentas de inteligência artificial oferecidas pelo Google Cloud para aprimorar diferentes facetas de sua plataforma.

Isso envolve a utilização de modelos de linguagem (LLMs) treinados para compreender e gerar conteúdo de maneira semelhante à humana.

Esses modelos buscam identificar padrões para a geração de textos, entre outras aplicações.

Segundo o Google Cloud, essa parceria permitirá ao Spotify aprimorar três aspectos críticos de seu serviço.

Primeiro, ele ajudará no aprimoramento do algoritmo para localizar e apresentar conteúdo da plataforma aos usuários.

Além disso, o modelo de linguagem será capaz de compreender os padrões dos usuários, proporcionando recomendações personalizadas de podcasts e audiobooks.

Ainda, essa tecnologia será capaz de identificar e sinalizar conteúdo potencialmente prejudicial, prevenindo os usuários de reproduzirem produções desse tipo.

Expansão das capacidades do Google Cloud e Spotify

Para além da aprimoração da experiência do usuário, a parceria entre Google Cloud e Spotify visa ampliar os recursos essenciais e a infraestrutura da plataforma de back-end do Spotify.

É importante destacar que a empresa também é reconhecida na comunidade de desenvolvedores como a criadora do Backstage, uma estrutura de código aberto para a construção de portais.

De acordo com Tyson Singer, Vice-Presidente de Tecnologia e Plataforma do Spotify, essa colaboração é uma motivação para ultrapassar os limites do que ambas as plataformas podem realizar.

A escala na qual eles conseguem executar serviços de back-end e processar dados, juntamente com a economia de custos alcançada, são cruciais para o sucesso de nosso negócio.

Sobre o Spotify

O Spotify, um serviço de streaming de música, podcasts e vídeos, foi oficialmente lançado em 2008.

Ele se destaca como a alternativa mais popular e amplamente utilizado em todo o mundo, desenvolvido pela startup Spotify AB em Estocolmo, Suécia.

Operando sob o modelo freemium, oferece recursos básicos gratuitos com anúncios ou limitações, enquanto funcionalidades adicionais, como qualidade de transmissão aprimorada e downloads de música, são disponibilizadas mediante assinatura paga.

O alcance do Spotify abrange a maior parte da Europa, parte das Américas, Austrália, Nova Zelândia e algumas regiões da Ásia.

Com suporte para uma variedade de dispositivos modernos, incluindo computadores com Windows, macOS e Linux, além de smartphones e tablets com iOS e Android, o Spotify possibilita a navegação e pesquisa de músicas por artista, álbum, gênero, lista de reprodução ou gravadora.

Os usuários têm a liberdade de criar, editar e compartilhar playlists, bem como compartilhar faixas nas redes sociais ou colaborar em playlists com outros usuários.

Catálogo

Via Flickr

O vasto catálogo do Spotify oferece acesso a mais de 100 milhões de músicas. Em julho de 2023, registrou mais de 527 milhões de usuários ativos, incluindo 210 milhões de assinantes pagantes.

O modelo de remuneração do Spotify se baseia no número de reproduções de um artista como uma proporção do total de músicas ouvidas no serviço.

Além disso, diferencia as vendas físicas ou downloads que pagam aos artistas um preço fixo por música ou álbum vendido.

Cerca de 70% da receita total vai para os detentores de direitos, que, por sua vez, remuneram os artistas com base em acordos individuais.

O Spotify enfrentou críticas de artistas e produtores, como Taylor Swift e Thom Yorke do Radiohead, devido às condições de pagamento.

Isso porque alguns indicam que a empresa não compensa adequadamente os criadores de música à medida que as vendas tradicionais diminuíram em comparação com o aumento do streaming.

Por isso, em abril de 2017, o Spotify anunciou a possibilidade de artistas lançarem álbuns exclusivamente no serviço Premium por até duas semanas.

Esse é parte de esforços para renegociar acordos de licenciamento com gravadoras.

Experiência do usuário

Outro motivo que fez o Spotify se consolidar como uma alternativa tão popular é prezar pela experiência do usuário.

Sua interface é amigável, com diversos recursos personalizáveis para tornar a música mais prazerosa para o usuário individual. Além disso, também tem uma ampla biblioteca e ferramentas para simplificar o acesso, pensando em cada ouvinte.

Por isso, é uma plataforma popular em seu nicho, e com inovações recentes, como a parceria do Google Cloud e Spotify, a empresa conseguirá ainda mais visibilidade entre os ouvintes.

Fonte: CanalTechWikipedia

Compartilhe :

WhatsApp
Facebook
Telegram
Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas notícias
Categorias

Subscribe our newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.